A estimativa do mercado brasileiro de impressoras é de 4,7% a mais neste ano conforme as previsões da IDC Brasil. Mesmo diante das expectativas com a transição de um novo governo e com a probabilidade de grandes empresas investirem até o final de 2019 no país, o crescimento ainda é tímido.

“Com a aprovação da Reforma da Previdência, estabilização do dólar e outros projetos do governo para impulsionar a economia, o crescimento do setor de impressoras no Brasil pode ser maior, mas a previsão, hoje, é de um crescimento tímido para o ano”, explicou o analista de mercado, Rodrigo Okayama Pereira.

 

Crescimento nos últimos anos

Uma pesquisa recente divulgada pela empresa mostrou ainda crescimento nas vendas nos últimos dois anos e comprovou que o setor segue em recuperação no Brasil. Com 2,36 milhões de máquinas vendidas, as vendas cresceram 21% em 2017 e 8% em 2018, sendo que 61% dos itens foram comercializados no varejo e 39% para o mercado corporativo.

A discrepância entre os percentuais foi justificada pelo fato de, em 2017, a maioria dos consumidores domésticos, profissionais liberais e empresas que estavam trabalhando com equipamentos defasados e adiando a troca desde 2016, compraram novas impressoras. Além disso, o início do referido ano foi promissor. A receita teve aumento de 14,7% em relação a 2017 e foi de US$ 727 milhões.

 

Venda de impressoras tem alta no primeiro semestre

Mix diversificado é questão de sobrevivência

 

Modelos tanque de tinta e laser

O estudo “IDC Quarterly Hardcopy Tracker Q4 2018” ainda mostrou que das 1,4 milhão de máquinas vendidas em 2018 no varejo, 748,7 mil foram de modelos tanque de tinta, alta de 28% em relação a 2017. Já o mercado corporativo foi responsável pela compra de 913 mil impressoras, sendo 479 mil modelos a laser, aumento de 9,8% na comparação anual.

“A adoção dessas tecnologias não foi surpresa, já que desde 2016 – e mais aceleradamente em 2017 – temos notado um crescimento na venda de equipamentos tanque de tinta, principalmente para o consumidor doméstico e pequenos empresários, pois apesar de um investimento inicial maior do que o habitual, apresentam alto rendimento de tinta, além de multifunções, como scanner e cópia”, disse o analista da IDC Brasil.

Ele ainda salientou que os modelos a laser se mantêm entre os preferidos da categoria pelas empresas já que combinam custo por página competitivo, alta capacidade e velocidade de impressão, oferecendo inovações em software e serviços.

Conteúdo Relacionado

impressoras
TEI

De olho no mercado: o crescimento para PCs e impressoras

19.julho

  O mercado de PCs e itens para impressão vem demonstrando sinais de estabilidade, mas indica crescimento sutil até o final do ano. Segundo as previsões da IDC Brasil, o cenário para os próximos meses não deve sofrer mudanças significativas e a estimativa é de crescimento de 1%, com vendas de 5,6 milhões de unidades […]

liquidações
varejo

Aposta em liquidações pode ser favorável para alavancar os negócios

19.junho

  Realizar liquidações na loja pode ser um ótimo atrativo para queimar o estoque antigo e ainda atrair novos clientes e fidelizar os antigos. Muitos brasileiros já ficam de olho nessas ações para adquirirem produtos que desejam por um custo menor e com a mesma qualidade. Um estudo realizado pelo IBOPE Conecta apresentou que um […]

transformação digital
TEI

Transformação Digital como prioridade nas empresas varejistas

30.maio

  Os investimentos em transformação digital vêm ganhando um novo panorama no Brasil e deixam de ser apenas úteis para solução de problemas pontuais da empresa, mas passam a ser fundamentais para o bom desempenho em todos os processos da loja. Uma pesquisa desenvolvida pela Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo (SBVC) comprovou que os […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *