Há alguns anos, o e-commerce vem se consolidando como uma grande potência à economia brasileira e ao setor varejista. O resultado é ainda mais concreto ao se mensurar os dados compilados de 2018, pela Ebit|Nielsen, quando o varejo online faturou mais de R$ 53,2 bilhões e registrou crescimento de 12% nas vendas em relação ao ano anterior.

O comércio eletrônico contou com aproximadamente 123 milhões de pedidos, o que representou também alta de 10%. O tíquete médio de compras ficou em torno de R$ 434.

Um grande impulso para o segmento foi a tradicional Black Friday realizada em novembro. Conforme noticiado aqui mesmo, no portal Vitrine do Varejo, o faturamento na última edição superou em 23% as vendas de 2017. Foram cerca de R$ 2,6 bilhões movimentados e o número pedidos foi superior, com 4,27 milhões. Isso representou um crescimento de 13%.

Do montante de consumidores online que contribuíram para as vendas no e-commerce, cerca de 10 milhões foram novos adeptos à ferramenta graças ao perfil de consumo, que mostra que o cliente está cada vez mais integrado às plataformas digitais e recorre ao canal em busca de praticidade e preço.

Expectativa para 2019

A líder comercial para Ebit|Nielsen, Ana Szasz, destaca que o surgimento de novos players, fusões e aquisições e a consolidação do modelo marketplace também contribuíram para a ascensão do mercado.

“Alguns dos principais varejistas reportaram crescimento acima da média e ganhos de participação, mas é importante lembrar que a cauda do e-commerce é verdadeiramente muito longa e da importância do marketplace para consolidar as vendas dos pequenos e médios players, dando sustentação a toda a cadeia”, disse Szasz.

É possível que o mercado de e-commerce feche o ano com uma expansão de 15% com vendas totais de R$ 61,2 bilhões. Os pedidos devem crescer mais 12%, beirando a média dos 137 milhões, e o tíquete médio em torno de R$ 447, aumento de 3%.

“A entrada de novos e-consumidores e a expansão do mercado de dispositivos móveis/banda larga no Brasil, e da migração do varejo offline para o online, impulsionarão o crescimento”, afirmou a líder comercial.

RESUMO EM TÓPICOS

• Varejo online faturou mais de R$ 53,2 bilhões em 2018, crescimento de 12% nas vendas em relação ao ano anterior;

• Expectativa é que mercado de e-commerce feche 2019 com uma expansão de 15%.

Conteúdo Relacionado

News

Como alavancar o consumo de produtos de giro rápido em sua loja?

09.abril

Ainda que o cenário não tenha sido dos mais favoráveis em 2018, os setores supermercadista, farma e atacarejo se destacaram no período.

News

A maioria da população consumidora não se prepara para aposentar, saiba o porquê.

05.abril

O orçamento enxuto é o principal motivo que leva grande parcela da população brasileira a não se aposentar. A pesquisa da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e do SPC Brasil, em parceria com o Banco Central, mostra que cerca de 60% dos consumidores não estão preparados para a aposentadoria.

News

Você conhece seu público? 96% dos responsáveis pelas compras são mulheres

03.abril

No mês dedicado à mulher, a Nielsen divulgou informações sobre o panorama da mulher brasileira no mercado varejista e comprovou que elas são maioria nas lojas. Com base na pesquisa “Estilos de Vida 2018”, 96% dos responsáveis pelas compras são mulheres.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *