A adoção de práticas ambientais, sociais e de segurança está entre as tendências de consumo no varejo em 2022. A informação consta da pesquisa feita pela consultoria KPMG e divulgada em dezembro. O trabalho ainda relaciona outros nove aspectos que devem ser considerados pelo varejista neste ano.

“Essas transformações serão necessárias e vão atuar de forma impulsionadora para que a demanda do setor continue aquecida”, ressalta o sócio-líder de Consumo e Varejo da KPMG, Fernando Gambôa.

De acordo com o executivo, o setor passa por um processo de reestruturação. Dessa forma, as tendências de consumo contemplam regulação, adequação ao novo consumidor, tecnologia, inovação, movimento de liquidez e gestão de risco. Logo, a consultoria detalha como melhorar a experiência do cliente, que é o grande foco do comércio na atualidade.

Tendências de consumo

Confira, então, as tendências de consumo apontadas pela KPMG:

1. De olho no e-commerce e na segurança digital

Iniciativas como o Marketplace do Sistema Martins ganharam ainda mais relevância nos últimos dois anos. Isso porque é um tipo de plataforma que oferece maior controle de qualidade e segurança cibernética. Neste ano, o varejo precisa se aprimorar, ainda mais, do uso de canais digitais. No entanto, é preciso atenção com a gestão de riscos e prevenção de fraudes.

2. Experiência do cliente

Como já mostramos aqui no Portal Vitrine, há muito tempo vender deixou de ser apenas um processo de troca. O cliente busca ter uma experiência, fazer uma jornada de compra. Para isso, especialmente se o varejista quiser ter consumidores nas lojas físicas, é preciso inovar. Mas, conforme a KPMG, essa inovação deve ser pautada na valorização da reputação, marca e sustentabilidade.

3. Entrega rápida

Outro desafio para o varejo é garantir eficiência no acesso do cliente aos produtos e serviços. Uma saída tanto para o varejo físico quanto o on-line pode estar nos minicentros de distribuição e no comércio de vizinhança. Sobre essas tendências falamos também aqui no Portal Vitrine!

4. Segurança de dados

Se a tecnologia traz conquistas, ela também requer alguns cuidados. Nesse caso, a KPMG aponta para a necessidade de se investir em privacidade e segurança cibernética.

5. Omnicalidade

A integração entre o físico e o digital, a omnicalidade, é mais uma tendência de consumo no varejo para 2022. Com a pandemia, o on-line acelerou sua expansão e esse processo é visto como um caminho sem volta. Para sobreviver, o lojista precisa se adequar e aproveitar o melhor dos dois mundos.

6. Transformação digital

A utilização de processos tradicionais, como carteira de clientes, crédito e malha logística, ajudam a repensar o negócio. Desse modo, ganham destaque recursos como marketplace e uso de aplicativos para transações comerciais.

7. Área tributária mais tecnológica

A KPMG aponta como urgente a adoção de tecnologia para otimização das áreas tributária e fiscal das empresas. Com o recurso, os processos de venda podem ser melhorados e o risco de perdas reduzido.

8. Aumento da concorrência

Mais uma recente mudança no processo de compra do consumidor está no maior acesso direto ao fabricante. Sendo assim, o varejo precisa encontrar estratégias para lidar com essa nova realidade.

9. Investimentos

A consultoria defende que o varejo precisa buscar novas formas de atrair e gerar capital.

10. ESG

A adoção de práticas ambientais, sociais e de governança (ESG) também deve se tornar uma preocupação maior no varejo. Essa tendência deve incluir fornecedores, parceiros e até clientes finais.

Gostou desse conteúdo? Se inscreva na nossa newsletter e receba conteúdos como este gratuitamente e em primeira mão!

Leia também:

Pagamentos digitais: varejo deve ficar atento a 5 tendências para 2022
Futuro do varejo pode estar no comércio de vizinhança e minicentros de distribuição

Conteúdo Relacionado

Happy business woman giving excellent rating for online satisfaction survey
News

Experiência do cliente deve ditar tendências de consumo em 2022

26.novembro

Assunto recorrente nos últimos anos, a experiência do cliente deve alcançar um novo patamar em 2022. Segundo o jornalista especializado em inovações e negócios, David Mattin, as empresas devem buscar uma maior conexão com o consumidor. O ponto de vista de Mattin é confirmado por outros empresários e especialistas de referência nacional e internacional. Suas […]

Beautiful smart Asian young entrepreneur business woman owner of
News

Mobile commerce é a principal tendência para o comércio virtual em 2023

09.fevereiro

As compras por meio de smartphones já são uma realidade para o varejo nacional. Conforme a consultoria NielsenIQ Ebit, 53,8% dos consumidores brasileiros são adeptos do mobile commerce, do comércio virtual. E essa adesão tende a crescer, especialmente com o avanço de modalidades de pagamentos como o Pix e as carteiras digitais. Um estudo do Copterra, […]

Blank tag on light background, closeup. Black Friday concept
News

E-commerce deve movimentar R$ 6,05 bilhões na Black Friday 2022

13.outubro

Falta pouco mais de um mês para a edição da Black Friday 2022. Neste ano, a data coincide que a Copa do Mundo e um período de retomada mais forte da economia. Segundo a Associação Brasileira do Comércio Eletrônico (ABComm), a sazão deve movimentar R$ 6,05 milhões apenas no e-commerce nacional. A estimativa da entidade […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *