Fechar o mês detectando prejuízo em perdas no varejo, como furtos e danos em produtos, afeta diretamente as finanças de qualquer negócio. E infelizmente essa é uma situação que grande parte do varejo enfrenta. Especialmente as lojas de autoatendimento onde o próprio consumidor escolhe os produtos sem intermediação de terceiros.

Para se ter uma ideia, a última pesquisa divulgada pela Associação Brasileira de Perdas e Danos (Abrappe) sobre o tema mostrou que as perdas representaram 1,36% do varejo em 2019. Isso quer dizer um impacto de R$ 22,44 bilhões sobre a movimentação de R$ 1,65 trilhão do varejo restrito no período.

As lojas de perfumarias (1,99% de perda total), drogarias (1,23% de perda total) e de departamentos (1,36% de perda total) tiveram as maiores altas, além, é claro, do varejo alimentar, que tradicionalmente lideram as maiores diferenças.

Supermercados lideram as perdas no varejo

Considerando os três formatos de supermercados – tradicional, de vizinhança e conveniência – o estudo chegou aos seguintes índices: o varejo de Lojas de Conveniência teve o maior índice de perdas, com 3,32%, em seguida aparecem as Lojas de Vizinhança (mercados de bairro), que apresentaram índice de 2,97%.

A 20ª Avaliação de Perdas no Varejo Brasileiro de Supermercados, apurada pelo Departamento de Economia e Pesquisa da Associação Brasileira de Supermercados (Abras) com a Abrappe, revelou que as perdas nos supermercados somaram R$ 6,9 bilhões, o que corresponde a 1,82% do faturamento bruto do setor (R$ 378,3 bilhões).

Previna-se!

Diante das estatísticas, o mercado precisa acender o alerta para a redução dessas perdas no varejo. Principalmente agora, em tempos de crise, em que muitos setores varejistas se veem negativamente impactados pela pandemia do novo coronavírus.

Prevenção é, sem dúvidas, a melhor opção. Vamos às dicas, conforme as orientações da própria Abrappe:

  • Estimule a cultura de prevenção de perdas na loja em sintonia com todos os setores e funcionários. Se possível, crie um comitê para a solução e implementação de processos para controle e redução das perdas;
  • Defina um cronograma de rondas para coibir prováveis furtos e observar movimentações suspeitas, especialmente nos pontos mais críticos e ermos da loja. Aproveite para monitorar frequentemente o circuito de videomonitoramento;
  • Tenha um controle eficiente de pedidos x média de vendas e abastecimento do mix, porque dessa forma você reduz o risco de comprar mercadorias além do necessário e que depois ficarão paradas no estoque e nas prateleiras;
  • Deixe os produtos visados e atrativos mais próximos aos caixas e áreas de ocupação de equipe de segurança. O objetivo é coibir tentativas de furto ou crime consumado;
  • Aposte em tecnologia com sensores, etiquetas antifurtos e câmeras de segurança. Quanto mais segura a loja for, menor será o risco, já que dificultará a ação do infrator.

Adotando medidas simples e investindo em sistemas de segurança é possível evitar perdas e furtos no varejo. Não se esqueça que é importante evitar acusações em público, principalmente sem ter certeza do ocorrido. Caso presencie algo, dê à pessoa a oportunidade de devolver o produto ou até pagar por ele.

Confira mais sobre o tema perdas no varejo acessando o Flix do Varejo. Há conteúdos disponíveis nas versões gratuita e por assinatura da plataforma.

Gostou do que leu? Aproveite para assinar a nossa newsletter e receber notícias em primeira mão.

Leia também:

UMV é parceira do Sebrae no programa Brasil Mais; inscrições abertas
Meios de pagamento que vão movimentar o varejo este ano

Conteúdo Relacionado

– alimentos congelados supermercado
Varejo Alimentar

Alimentos congelados na preferência da lista de compras

07.janeiro

A pandemia da Covid-19 forçou novos hábitos de consumo e os alimentos congelados ganharam preferência na hora da compra.

Derivados de plantas
Varejo Alimentar

Derivados de plantas ganham preferência dos consumidores

05.dezembro

Os alimentos derivados de plantas e vegetais podem ser incremento interessante para destacar nas gôndolas da loja. Isso mesmo! Essas categorias têm ganhado a preferência dos consumidores brasileiros. É o que mostrou um estudo da Consultoria Opinaia em parceria com a líder mundial no mercado de soluções em ingrediente, Ingredion. De acordo com a pesquisa, […]

óleo de soja
Varejo Alimentar

Óleo de soja lidera alta de preços nos supermercados

27.outubro

Os tempos de crise e pandemia impactam diretamente nos valores dos itens nas gôndolas. Nas últimas semanas, o arroz e a carne, por exemplo, estamparam os noticiários com a alta expressiva dos produtos. Mas o óleo de soja, sem sombra de dúvidas, foi o que liderou as variações. Conforme análise da Associação Paulista de Supermercados […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *