O imediatismo da era de informações rápidas e acessíveis também forçou o mercado a acompanhar as tendências para captar a clientela cada vez mais conectada. A inovação tecnológica passou então a ser necessidade no varejo para proporcionar ainda mais oportunidades de consumo e impulso das vendas.

O consumidor busca por experiências satisfatórias e práticas. Poder contribuir com essa experiência de compra está atrelado diretamente a disponibilizar ferramentas e recursos por meio das novas tecnologistas. Hoje, por exemplo, se a marca não está em evidência na internet de alguma forma, a loja física não será tão atrativa quanto o concorrente que vem investindo em soluções virtuais.

Nesse contexto, o e-commerce ganha ainda maior destaque e cresce ano a ano. Uma pesquisa desenvolvida pela consultora PwC revelou que o Brasil utiliza mais os dispositivos móveis que nos outros países, sendo que 53% dos brasileiros pesquisam produtos online antes de comprar, percentual acima da média mundial (44%).

Mas como dar o primeiro passo para tornar a loja moderna e inovadora? O leque de opções com as novas tecnologias é enorme e vão desde uma simples página de rede social a software e equipamentos sofisticados que melhoram a experiência sensorial do cliente no ponto de venda.

 

Layout digitalizado

É muito comum vermos nos estabelecimentos letreiros digitais que sinalizam as categorias, por exemplo, ou dispositivos móveis em que o cliente pode manusear e pesquisar mais sobre os itens que deseja, o que não exclui a importância do vendedor que precisa estar pronto para responder a todos os questionamentos.

As vitrines também podem utilizar recursos digitais para atrair a atenção do consumidor para dentro da loja.

Alternativas de checkout

O consumidor também busca por praticidade e quanto mais os processos para finalização da compra forem rápidos, mais ele ficará satisfeito com o estabelecimento. Aqui entra, principalmente, o check-out.

Nas grandes redes já é comum ofertar o serviço de self-checkouts e aplicativos que podem ser acessados pelo próprio smartphone para evitar que o cliente, depois de comprar o produto, ainda tenha que enfrentar longas filas.

Sendo visível na web

Mas se a ideia é potencializar as vendas, no entanto o investimento ainda é baixo, é importante apostar na internet como um dos primeiros passos. Criar perfis nas redes sociais como Facebook, Instagram e Twitter pode dar muita visibilidade à marca e atrair aquele público que fica quase 100% dia conectado.

Além de divulgar a loja e produtos, é possível fidelizá-lo por meio de ofertas e sorteios exclusivos para os seguidores/clientes das páginas. O investimento em aplicativos para os dispositivos móveis também é uma alternativa interessante.

Um estudo do Ibope Conecta, em abril, apontou que 26% das pessoas que acessam a internet contam com pelo menos um aplicativo de desconto instalado no celular. Desses consumidores, 71% responderam terem baixado ao menos um aplicativo de supermercado.

E-commerce e site

Em tempos de consumidor omnichannel, que compra online e também na loja física, o negócio também precisa ser multicanal. Ter a loja virtual e um site para apresentação de produtos, da marca, entre outras informações, faz o estabelecimento ser relevante ao olhar da clientela.

Os dispositivos tecnológicos propiciam uma maneira melhor de apresentar os produtos da loja e ainda acabam contribuindo para a agilidade dos processos internos. Por isso, sai à frente quem consegue reconhecer a importâncias dessas ferramentas para o sucesso do varejo.

Conteúdo Relacionado

samsung-768×543
Patrocinada

Venda smartphones em qualquer segmento

31.julho

No ano passado, os brasileiros passaram mais de três horas por dia usando o celular. Segundo dado do relatório Estado de Serviços Móveis, essa média colocou o país em 5º lugar no ranking global de tempo de uso com esse aparelho. O interesse do consumidor por smartphones segue crescente e abrindo novas frentes, como a […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *