Ao que tudo indica, ou melhor, ao que os indicadores mostram, o setor da construção civil não se abalou tanto com a crise gerada pela pandemia do coronavírus. Bom para o varejo de material de construção, que também é visto com boas perspectivas para 2021.

A Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção (Abramat) tem a expectativa de que o faturamento do setor cresça 4% este ano. No último mês de dezembro, a alta foi de 15,7% na comparação anual e variação negativa de 1,1% em relação ao mês anterior.

Resultado que veio se ampliando de forma exponencial desde o mês anterior. Em novembro, o segmento apresentou faturamento 11,5% maior que em outubro.

A Câmara Brasileira da Indústria da Construção (Cbic) também projeta um ótimo desempenho para a construção civil, podendo este ser o maior crescimento para o setor em oito anos, quando o crescimento registrado foi de 4,5%.

Atenção para os preços

Apesar do otimismo, em contrapartida os preços dos produtos podem sofrer uma grande variação e acabar prejudicando a recuperação rápida do setor por causa da alta nos preços das matérias primas e por causa do desabastecimento de alguns insumos.

A Cbic considerou que o custo de materiais e equipamentos dentro do Índice Nacional da Construção Civil (INCC) – responsável por medir a inflação no setor -, registrou alta de 17,72% de janeiro a novembro. É a maior alta desde o Plano Real.

Já os preços dos insumos como cimento, cabos de aço e tubos de PVC dispararam ainda no primeiro semestre de 2020, subindo em média até 2,75% no final de janeiro a maio.

Um olhar sobre a pandemia

Para ter a ideia de um ano melhor para o setor, é preciso analisar o cenário em plena pandemia. O setor da construção realmente teve um recuo ao final de 2020. Mas, ao que parece, não foi tão prejudicial assim.

A previsão inicial, no começo da pandemia, era de um recuo de até 11% no PIB do setor. Mas ao final, o que se viu foi uma queda de 2,8% e a criação de 138,4 mil postos de trabalho no acumulado até outubro.

No terceiro trimestre, houve avanço de 5,6% em relação ao trimestre anterior. O mercado então mantém as boas expectativas para crescimento do setor, impulsionado também pelas vendas de materiais de construção.

Mercado 2021

O mercado de material de construção segue aquecido em 2021, com planos de crescimento em torno de 6% a 8%. Essa é a previsão do Cláudio Conz, presidente do Sincomaco – Sindicato do Comércio Atacadista, Importador, Exportador e Distribuidor de Material de Construção e de Material Elétrico no Estado de São Paulo.

Para ele, a pandemia trouxe um novo significado das pessoas em relação à moradia, pois com mais tempo em casa o olhar passou a ser mais focado nas melhorias e reformas que antes já eram necessárias, mas não prioritárias.

“É em casa que as pessoas tiram as máscaras, se sentem confortáveis e esse momento da casa passou a ter um valor enorme. Aquela rachadura que sempre existiu, passou a ser notada com frequência e o reparo foi feito. A cerâmica depois de tanto tempo foi trocada. Essas questões ajudaram o setor em 2020 e segue este ano”, disse Cláudio.

Ainda de acordo com Conz, para sobreviver ao mercado é preciso ser competitivo, é preciso ser melhor do que era e melhor do que o concorrente. A aposta para 2021 é a venda assistida nas lojas de materiais de construção.

“A conversão de venda é de 90% apenas por uma abordagem simpática, adequada. Outro dado é que 25% das reclamações estão relacionadas a falta desse atendimento, que o cliente não recebeu a assistência presencial. Entrou na loja, tem que comprar, essa é a regra”.

Redes sociais e relacionamento

A presença nas redes sociais também é uma aposta para 2021. Segundo Cláudio, no Google, a palavra material de construção é a quinta mais pesquisada. Além disso, loja de material de construção aparece na 56ª posição, o que mostra a relevância da pesquisa pelo setor na internet”.

Ele também destaca o uso de plataforma de reuniões de vídeo para desburocratizar os processos da loja e ganhar tempo. Por exemplo: reuniões com fornecedores, com equipe comercial, entre outras. Com isso, sobra mais tempo para focar nas vendas, no faturamento.

Outras dicas do presidente do Sincomaco é estreitar o relacionamento com os atacadistas, ter estoque sempre abastecido para não deixar o cliente na mão, reduzir os prazos de compras e com isso ganhar melhores preços nas negociações, e elasticidade nos preços.

“Pegue os 10 produtos mais vendidos no dia anterior e faça uma elasticidade no preço, tipo R$ 0,20 pra cima, R$ 0,50 acima ou até R$ 1,00. Faça isso diariamente e no fim do ano dá um incremento na margem de lucro apenas ajustando centavos”.

Pra fechar, Cláudio destaca que há 70 milhões de casas e apartamentos que necessitam de manutenção e 220 milhões de consumidores no país, ou seja, os números mostram que o mercado deve seguir aquecido, mas para sobreviver o varejista precisa se preparar!

E não se esqueça de assinar a nossa newsletter para receber conteúdos como este gratuitamente e em primeira mão!

Leia também:

Já pensou em um cantinho de materiais de construção no supermercado?
Telegram ganha força e pode ser mais um aliado nos negócios

Conteúdo Relacionado

Depositphotos-114717194-l-2015
Material de Construção

Material de construção: cresce a percepção de vendas entre os lojistas

06.outubro

Um estudo feito pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (FGV IBRE), e divulgado pela Associação Nacional dos Comerciantes de Material de Construção (Anamaco), demonstra que uma boa parcela dos varejistas sentiu aumento nas vendas mesmo durante a pandemia. Denominado “Termômetro Anamaco”, a pesquisa reforçou que a percepção dos varejistas quanto às vendas […]

Closeup of calendar page
Varejo Alimentar

Baixe de graça o calendário sazonal e se prepare para as datas mais importantes do ano

19.fevereiro

Estimular as vendas em plena pandemia com impactos claros à economia não parece ser uma tarefa fácil para o varejo. Mas algumas alternativas podem ser aproveitadas para reverter isso. Uma delas é, sem dúvidas, recorrer ao calendário sazonal. A sazonalidade é a oportunidade ideal para incrementar o mix, fazer ações promocionais temáticas e ajudar a […]

materiais-de-construcao-no-supermercado
Material de Construção

Já pensou em um cantinho de materiais de construção no supermercado?

29.janeiro

O movimento faça você mesmo é estimulado no mundo inteiro e atrai uma multidão de consumidores. É aquela satisfação pessoal de montar a própria decoração em casa, conseguir fazer pequenos reparos e reformas sem precisar gastar muito. Um cantinho exclusivo de produtos de materiais de construção no supermercado é ideal para atender as necessidades desse […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *