É visível que o varejo online se despontou durante a pandemia. E conquistou novos públicos que adiavam esse contato direto com a tecnologia e com a modalidade de compra. Acontece que o consumidor não abriu mão da loja física, que continua caindo na preferência de mais da metade dos brasileiros.

O levantamento Consumer Insights, feito pela Kantar, mostra muito bem essa realidade. Dos consumidores brasileiros pesquisados, 51% confirmaram que preferem fazer suas compras na loja física mesmo durante a pandemia de Covid-19.

Além disso, o shopper ainda sinaliza algumas dificuldades para ter acesso 100% ao e-commerce. Seja por marketplace, redes sociais ou até mesmo o WhatsApp, plataforma com maior nível de aceitação entre os entrevistados.

Loja física x e-commerce

Mesmo com os 350 mil novos lares que passaram a optar pelo canal online no terceiro trimestre de 2020 em relação ao segundo, como consta no estudo da Kantar, entre os desafios que persistem estão: a sensação de insegurança e a falta de um vendedor.

Para 44% dos brasileiros, não ter a figura de um vendedor ou um atendente da loja para tirar dúvidas é uma barreira. Além disso, 33% dizem não confiar em fornecer dados para compras online.

Outras 19% não encontram o sortimento esperado. Por fim, 16% se preocupam com o atraso nas entregas e não têm esperanças de que esse aspecto irá melhorar rapidamente. Pontos que que acabam favorecendo a confiabilidade do varejo público.

Digital e físico, por que não?!

Para manter essa preferência do consumidor pela loja física, é preciso evolução nos processos, ou seja, melhorar o que você já faz muito bem dentro da loja. Um dos quesitos valorizados nas compras presenciais é o atendimento. Muitos consumidores prezam por esse contato e sentem-se confortáveis e seguros quando são acolhidos, ou seja, bem atendidos.

Então, mantenha sua equipe motivada e por dentro de tudo que acontece na sua loja para, justamente, transmitir essa segurança ao consumidor. Um processo falho na hora do atendimento resultado na desistência de uma compra.

A capacitação dos vendedores é necessária para não deixar nenhum ruído de comunicação entre a loja e o cliente. Além de proporcionar a fidelização deste público. Nem sempre é preciso investir tanta grana no processo de desenvolvimento dos funcionários. Aqui mesmo no Portal Vitrine do Varejo falamos de dicas práticas para ajudar o lojista a planejar o desenvolvimento de seu pessoal. Confira aqui.

Comprar o produto e já levar para a casa é outro fator que coloca a loja física em evidência. Pode não parecer tão relevante, mas tem consumidor que prefere assim. Nada de espera ou de pagar por fretes quando a compra é feita online. Diante desse forte apelo, tenha sempre o mix certo para atender seu público-alvo e explore a loja para destacar os produtos, seja por meio de gôndolas organizadas ou exposições adequadas para chamar atenção do cliente.

Compras virtuais

Bom, falamos da loja física e agora temos que falar das compras virtuais. Não tem como negar que a pandemia de Covid-19 acelerou esse processo que já vinha se tornando cultural. Sai na frente o varejista que conseguir oferecer as duas formas. Ou seja, o lojista que proporcionar a experiência que o cliente está em busca, seja no online ou offline.

2020 mostrou que o mundo virtual é um caminho sem volta e o varejo não pode ficar fora desse quadro. Se você ainda não está inserido nesse universo, comece a pensar nisso. Seja dando as caras nas redes sociais, por exemplo, usando o Instagram ou Facebook. Ou até mesmo o Whatsapp Business que oferece inúmeros recursos para você se comunicar e até mesmo vender para o cliente.

E tem ainda os sites, seja para divulgar o lado institucional do seu negócio ou com foco no e-commerce. E se você pensa que ter uma página na internet exige muito recurso financeiro está enganado. Há opções gratuitas no mercado e simples para colocar sua marca no mundo virtual.

Se o se foco é proporcionar a melhor experiência do cliente, pense na importância de atuar em todos os possíveis canais de vendas. O varejo de hoje e do futuro se mistura com o físico e o digital e essa realidade vai ser intensificada cada vez mais. Pense nisso!

Quer receber conteúdos como este gratuitamente e em primeira mão? Assine nossa newsletter.

Leia também:

Online: varejo em alerta para o e-commerce em 2021
Alimentos congelados na preferência da lista de compras

Conteúdo Relacionado

vendas online
Varejo Alimentar

Vendas online devem crescer o superior a 25% em 2021; oportunidade para o seu negócio

29.dezembro

Se houve um segmento que se beneficiou bastante em tempos críticos foi o varejo online, as vendas online. A pandemia acabou impulsionando hábitos de consumo que já eram uma tendência para o setor. Mas que se consolidou também entre públicos que antes não tinham tanta aptidão para fazer as compras virtualmente. Neste cenário, a expectativa […]

varejo
Varejo Alimentar

Varejo: como direcionar as estratégias para a reta final do ano

15.dezembro

É normal que você, do varejo, ainda esteja fazendo as contas para saber como as finanças da loja fecharão neste ano atípico de crise causada pela pandemia. Ao mesmo tempo que já começa a ficar aflito desde já pelas incertezas do ano que está por vir. Ter um ponto de partida é a primeira coisa […]

Full length portrait of a cheerful man jumping
Varejo Alimentar

Geração Z: prepare sua loja para vender para esse público

24.dezembro

Muito se fala sobre romper as barreiras do varejo físico e digitalizar a marca, as vendas e os processos internos com o objetivo para prospectar novos consumidores. Os hábitos consumidores se atualizam o tempo todo e os lojistas precisam estar atentos às inovações. Porém, é preciso ter a consciência de que há um público que […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *