Uma pesquisa divulgada no mês passado aponta que o canal preferido do brasileiro para compras diárias ou semanais continua sendo a loja física. A informação está na edição 2021 da Global Consumer Insights Pulse Survey, da PwC.

Apesar de tantas mudanças que aconteceram em decorrência da Covid-19, principalmente em relação ao comportamento de compras, o ponto de venda segue na preferência do consumidor.

De acordo com a pesquisa, 41% dos entrevistados apontaram essa escolha. Em seguida, com 33%, aparecem as compras digitais realizadas por meio dos smartphones. Em terceiro lugar, com 26%, estão as compras feitas por meio de tablets.

Ainda sobre as compras presenciais, a pesquisa apontou que o principal motivo para a ida em uma loja física é a necessidade de ver e tocar os produtos, com 33%. Apesar dessa preferência, o consumidor julgou ser essencial que os estabelecimentos tenham medidas rigorosas de saúde e segurança para evitar o contágio da Covid-19. Os entrevistados (31%) também pontuaram sobre a importância de se movimentar pela loja de forma rápida e confiável.

Outro dado da PwC é que com o isolamento os consumidores passaram a dar preferência a negócios locais, lojas de bairro, por exemplo. O objetivo é dar apoio aos varejistas afetados pela pandemia. Além disso, os brasileiros disseram que aumentaram a quantidade e a frequência de compras nesses estabelecimentos como forma de apoio aos lojistas.

“Todos sabemos que a pandemia provocou grandes alterações de comportamento. A novidade é que, por estar durando tanto tempo no Brasil, está incentivando mudanças de hábitos que irão impactar o comércio por muito tempo” afirma Carlos Coutinho, sócio da PwC Brasil e líder de Consumer Markets.

Ele disse ainda que “a pandemia e todo o seu entorno está criando novos hábitos de consumo e comportamentos da população bem distintos, que podem definir padrões de longo prazo em atitudes de compra”, disse.

Compras online

A pesquisa abordou ainda as preferências dos consumidores em relação às compras online. O atributo mais importante levantado por eles, com 42%, está relacionado à entrega rápida e confiável. Esse quesito é levado em conta na hora de efetuar ou não uma transação.

Em seguida aparece a disponibilidade em estoque dos itens procurados (38%). Em terceiro lugar, a facilidade de navegação no site com foco em encontrar os produtos de forma rápida.

Loja física x Online

Apesar da loja física ser a opção preferida do consumidor, a pesquisa aponta que as experiências do offline com o online estão se fundindo. Entre as vantagens apontadas nas compras virtuais está a possibilidade de analisar uma variedade maior de produtos, em comparação com as lojas físicas.

Isso quer dizer que a jornada começa pela internet e pode terminar por ali mesmo ou o cliente recorrer a loja física para ver de perto o produto que deseja. Nesse momento é importante a loja física se destacar apresentando inovações.

Por exemplo, “estabelecimentos totalmente automatizados, caixas self-service, espelhos virtuais, informações digitais dos produtos, possibilidade de reserva de produtos para teste por aplicativo, entre muitos outros fatores que permitam uma experiência imersiva do consumidor”, cita trecho da pesquisa.

“O consumidor procura valor em toda jornada que começa. A equação de valor vai desde achar o que ele quer, na hora que ele quer, até receber com tranquilidade para poder usufruir dessa jornada”, afirma Carlos Coutinho.

“O isolamento habituou o consumidor a um novo tipo de pensamento, em se tratando de transações. A compra digital permite a busca de uma variedade de opções, de forma rápida e exata – e o consumidor, ao voltar para a loja física, retornará desejando passar pela mesma experiência que ele tem nos meios digitais. Este será o grande desafio do varejo”, disse.

Aproveite para assinar a nossa newsletter e receber notícias em primeira mão.

Leia também:

Pagamentos por aproximação se destacam na pandemia
Como a geolocalização pode ajudar sua loja no pós-pandemia

Conteúdo Relacionado

varejo
Varejo Alimentar

Varejo: como direcionar as estratégias para a reta final do ano

15.dezembro

É normal que você, do varejo, ainda esteja fazendo as contas para saber como as finanças da loja fecharão neste ano atípico de crise causada pela pandemia. Ao mesmo tempo que já começa a ficar aflito desde já pelas incertezas do ano que está por vir. Ter um ponto de partida é a primeira coisa […]

carne-vermelha
Varejo Alimentar

Preços disparam e carne vermelha cede espaço para o ovo

25.maio

A carne vermelha é um dos alimentos mais consumidos no Brasil, mas um dado tem preocupado o mercado. Com a alta nos preços do quilo, o produto apresentou a menor queda percentual de vendas em 25 anos. Bom para outros alimentos proteicos como o ovo, que teve aumento no consumo como substituição na mesa do […]

secao-de-limpeza
Varejo Alimentar

Pandemia impulsiona seção de limpeza

19.maio

Enquanto a pandemia de Covid-19 afetou em cheio alguns setores econômicos, principalmente por causa do isolamento social, as vendas de produtos de consumo de massa (em inglês Fast Moving Consumer Goods – FMCG) tiveram aumento muito acima do esperado. Nesse contexto, destaque para a seção de limpeza. O FMCG é considerado produtos de consumo em […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *