Os consumidores brasileiros voltam a apresentar mudanças no comportamento de compra depois de terem sido acompanhados por um longo período de recessão econômica e, consequentemente, ter readaptado os gastos com as compras do mês. Uma análise feita pela Nielsen revelou que os itens de higiene e beleza estão sendo priorizados e inclusive demonstrando crescimento nas vendas.

O estudo “As novas escolhas do consumidor” indica cenário azul para grande parte das categorias que compõem a cesta de Higiene & Beleza, uma vez que 74% dessas categorias já registraram crescimento em vendas valor e 52% no tíquete médio.

A pesquisa dividiu as categorias em três grupos considerando o desempenho delas no mercado. O grupo “Eu mereço o melhor” foi formado por produtos que contribuem com o desempenho positivo da cesta e aumentam tíquete médio. São eles: shampoo, pós-shampoo, escova, creme dental e preservativo. Esse último, por sua vez, apresentou crescimento em valor de 3,1%.

Já o agrupamento de categorias “Me ajuda a te ajudar” engloba os itens antisséptico bucal, desodorantes, produtos de higiene íntima, sabonetes, entre outros. As categorias também cresceram no patamar de 3%. Aqui, as marcas de baixo preço e as líderes, que apresentaram boas alternativas de desembolso, se destacaram, assim como os kits promocionais.

O grupo “Não tá fácil pra ninguém” foi constituído por produtos que contribuem negativamente para a performance da cesta, como papel higiênico, tintura de cabelo, fraldas descartáveis, maquiagem e repelente.

A Visão do Consumidor

Esses itens foram os únicos que demonstraram queda em vendas valor, sendo eleitos pelos consumidores para “economizar” por meio da compra de embalagens maiores e marcas de baixo preço, investindo assim em outras categorias que consideram prioritárias. A pesquisa identificou a variação em vendas valor de -3,3%.

O estudo demonstrou, ainda, que uma das alternativas usadas pelos compradores a fim de economizar mais com produtos da linha de beleza e higiene foi recorrer a um maior número de canais para realizar as compras. Cerca de 78% das famílias chegam a visitar mais de dois canais sendo, na maioria das vezes o, atacarejo, farmácias e supermercados.

Para economizar, cerca de 78% das famílias chegam a visitar mais de dois canais sendo, na maioria das vezes o, atacarejo, farmácias e supermercados
Para economizar, cerca de 78% das famílias chegam a visitar mais de dois canais sendo, na maioria das vezes o, atacarejo, farmácias e supermercados

Conteúdo Relacionado

compras online
Varejo Alimentar

Em tempos incertos, o varejo sempre se reinventa

24.março

O momento é crítico para todos os setores econômicos do Brasil e para o varejo não é diferente. Em virtude da pandemia do novo coronavírus, muitos estados já começaram a implementar medidas restritivas a fim de evitar a propagação do contágio. Mas antes que o desespero tome conta, muita calma nessa hora, até porque brasileiro […]

compra pelo celular supermercado
Varejo Alimentar

Apps de entrega têm mudado a rotina do varejo

13.março

O que antes era serviço exclusivo do setor de bares e restaurantes, agora está ainda mais próximo do pequeno e grande varejo. Os famosos aplicativos de entregas, como iFood, Uber Eats e Rappi, já estão sendo compartilhados também para entregas de produtos, especialmente do varejo alimentar, adquiridos diretamente das lojas via apps no celular. Além […]

loja aberta
Varejo Alimentar

Domingos e feriados: por que não abrir a loja?

05.março

Ponto facultativo ou não, muitos lojistas às vezes ficam em dúvida sobre a abertura da loja aos finais de semana, especialmente aos domingos, e também durante os feriados. A ideia que se tem é poderá ser um dia perdido com o ponto de venda às moscas, não é mesmo? Mas uma pesquisa feita pela Confederação […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *