Contar com balconistas na sua equipe de loja é uma forma de estreitar ainda mais o relacionamento com o cliente, já que esse profissional trabalha diretamente com o atendimento ao público. É do balcão que ele vai conseguir passar informações e esclarecer dúvidas, apresentar os produtos e atendendo outras demandas seja na falta de um vendedor específico ou em complemento à tarefa de vendas.

Esse tipo de profissional é muito comum no pequeno e médio varejo ou, ainda, nos segmentos de farmácia, açougue, lojas de material de construção e de itens agroveterinários. Locais onde o cliente se direciona até o balcão para solicitar os produtos ou apenas buscar informações sobre eles.

Justamente por essas funções, que o atendente de balcão deve ter algumas características essenciais como ser comunicativo, educado e paciente para lidar com os consumidores. O portal Vitrine do Varejo lista abaixo algumas práticas para ajudar na capacitação dos balconistas.

 

 

Profissionalização

Muitas lojas solicitam para a vaga que o profissional tenha concluído ao menos obensino médio e tenha noções de informática para o caso de usar softwares nos processos internos da loja: contabilização das vendas, estoques, entre outros.

Não precisa ser uma exigência, mas esse “plus” no currículo ajuda o candidato à vaga a se sobressair entre os demais. Em muitas situações, é ele que vai desempenhar a multifunção de atender, vender e ser o caixa da loja. Quanto mais competência profissional e qualificação para desempenhar esse conjunto de funções, melhor para aperfeiçoar o atendimento da loja.

 

Reciclagem e capacitação

Investir em programas de reciclagem é um bom aliado para ajudar na capacitação de balconistas. Nesses treinamentos o lojista deve orientar sobre o Regimento Interno da Empresa (direitos e deveres) e oferecer atividades específicas para cada área, frisando sobre as noções básicas de atendimento e informando sobre os produtos e serviços oferecidos na loja.

O atendente de balcão precisa estar apto para receber todas as demandas dos clientes e saber dar mais detalhes sobre o produto para não deixar o cliente desassistido.

Conhecer o que se vende e ter domínio técnico é fundamental para o sucesso no atendimento ao cliente.

 

Jogo de cintura

O atendente de balcão também será aquele profissional que, no atendimento direto com o consumidor, terá que lidar com situações delicadas como troca de produtos danificados, reclamações e até o mau humor por um dia ruim que a pessoa esteja passando e acaba descontando no primeiro atendente que vê. Pode acontecer.

É preciso ter humildade, se colocar no lugar do outro e, com jogo de cintura, se sobressair. O varejista deve orientar seus balconistas quanto a essas questões e, talvez, até simular esse tipo de atendimento para exemplificar como o funcionário poderá se sair dessas situações sem constrangimentos e colocando a satisfação do cliente em primeiro lugar.

 

Apresentação pessoal

Cuide da aparência dos balconistas. Em caso de não haver padronização de uniformes, tente ao menos seguir um padrão para que ele esteja bem apresentável para atender o público. Nesses casos, é ideal o auxílio de profissionais que trabalham com treinamentos de vendedores e atendentes para saber orientar qual o melhor visual a
ser adotado.

Mas a boa aparência não está relacionada apenas à questão física. O balconista consegue passar muito bem uma boa imagem sendo cordial, simpático e estampado sempre um sorriso no rosto durante o atendimento à clientela.

Antes de contratar, observe se o profissional é comunicativo e gosta de lidar com o público. Ou aposte na rotatividade dos funcionários entre os setores para identificar aqueles que, porventura, tenham maior desenvoltura para a função. Essa oportunidade também ajuda a capacitar os trabalhadores para conhecerem as outras atividades da loja e, posteriormente, poderem suprir as vagas em caso de faltas ou alta demanda.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *