Em tempos críticos e de mudanças constantes, toda informação é válida para que o mercado tente entender o comportamento de consumo dos brasileiros. E quer saber de uma novidade?

Os consumidores estão cada vez mais à procura de negócios locais, ou seja, lojas de bairro. E também estão de olho nos varejistas engajados socialmente, que acabam contribuindo com a comunidade em que atua.

Esses foram alguns dos insights identificados pela plataforma de pagamentos Adyen no Relatório Varejo 2021. O estudo revelou uma forte tendência à preocupação dos pequenos e médios varejistas locais durante a pandemia, uma vez que o segmento é um dos mais afetados pelas recorrentes medidas de restrição de funcionamento das atividades comerciais.

De acordo com a pesquisa, 71% dos consumidores entrevistados sinalizaram que comprariam mais de negócios locais por desejarem que eles permanecessem abertos.

Além disso, 76% responderam que pretendem continuar comprando de varejistas com os quais contaram durante a pandemia.

Nos próximos meses, os consumidores também ficarão mais atentos quanto a questões relacionadas à ética e responsabilidade social na hora de escolher o estabelecimento onde vão comprar os produtos desejados.

Aponta o estudo que 73% dos entrevistados sairiam de seu caminho para comprar de um negócio que se engajou socialmente durante a pandemia.

Além disso, 77% disseram que comprariam de uma loja que oferecesse a possibilidade de receber em casa um produto eventualmente em falta no estabelecimento físico.

Outro dado importante do levantamento foi que os entrevistados (82%) destacaram que pagar bem os funcionários, contribuir para a comunidade e se preocupar com o meio ambiente se tornaram temas de maior relevância nesse período.

Negócios locais x online e offline

Para se aproximar ainda mais do seu cliente e proporcionar uma experiência completa e satisfatória, é importante trabalhar o seu varejo de forma online e offline. Essa mudança de comportamento de compra ficou muito evidente na pandemia e segue como prioridade nos negócios.

A pandemia forçou metade dos brasileiros a comprar virtualmente e 63% deles passaram a usar aplicativos para pedidos e compras. Dado muito acima da média global, que atingiu 33%.

Para 91% dos entrevistados, as marcas que adotaram vendas online durante a pandemia devem continuar a fazer o mesmo com o fim definitivo das restrições.

De olho nesses parâmetros, o varejo precisa entender que o shopper se habituou aos canais digitais para comprar e dificilmente vai abandonar esse comportamento.

Em contrapartida, é preciso repensar as estratégias de venda, principalmente as voltadas para canais como Instagram, Facebook ou o próprio WhatsApp.

Gostou do conteúdo? Aproveite para manter-se informado sobre o mercado assinando de graça a nossa newsletter.

Leia também:

Meios de pagamento que vão movimentar o varejo este ano
Pandemia acende alerta para revisão de sortimento do mix da loja

Conteúdo Relacionado

compra-pelo-whatsapp
News

Maioria dos consumidores já compra pelo WhatsApp

16.abril

O WhatsApp deixou de ser um simples aplicativo para envio e recebimento de mensagens para se tornar uma das principais ferramentas digitais do varejo. É por meio dele que milhares de brasileiros passaram a efetuar suas compras, hábito que foi intensificado a partir da pandemia. E não é só perspectiva não, viu?! Uma pesquisa de […]

higienizacao-no-pdv
News

Higienização no PDV deve ser prioridade no varejo

14.abril

A higienização no PDV e diversos outros cuidados dentro da loja passaram a ser mais do que uma obrigatoriedade para o varejo. É uma questão de saúde pública e necessidade. Com o abre e fecha do comércio como medidas restritivas para enfrentamento da Covid-19, o cuidado com os funcionários e os consumidores precisa começar do […]

ovo-auxilio-emergencial-app
News

Novo auxílio emergencial começa a ser pago… e o varejo?

09.abril

A novo auxílio emergencial começou a ser pago pelo governo federal na última terça-feira (6). E sempre que o governo injeta novos benefícios à economia, o varejo naturalmente se beneficia. Embora essa expectativa seja inevitável, há de se considerar que desta vez o valor é bem inferior às primeiras fases do auxílio e vai abranger […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *