O cenário para o comércio varejista e de serviços mudou e recorrer aos canais digitais tem sido a maneira mais prática e eficiente, do momento, para driblar os prejuízos e tentar resgatar as vendas. Uma pesquisa realizada pelo Instituto Locomotiva mostrou exatamente isso e um boom nas vendas online por aplicativos.

O estudo foi realizado com base no primeiro mês de isolamento social no Brasil em razão da pandemia do novo coronavírus. Segundo o levantamento, as compras via aplicativos tiveram aumento de 30% considerando pessoas com mais 50 anos de idade e as classes sociais C, D e E, ou seja, mais da metade do público consumidor do País.

As informações foram divulgadas no último dia 29 de abril pela Agência Brasil. De acordo com a pesquisa, 49% dos entrevistados afirmaram que pretendem ampliar as compras pelo canal mesmo após o período pandêmico e outros 32% informaram que devem reduzir as compras nas lojas físicas.

Nesse sentido, se destaca ainda mais o varejo alimentar uma vez que 39% dos consumidores garantiram que têm comprado mais alimentos pelos apps. Contudo, para itens básicos como alimentos e produtos farmacêuticos, a maioria das pessoas ainda continua preferindo ir até mercados e farmácias, representando 60% e 45% dos consumidores, respectivamente.

Segundo o presidente do Instituto Locomotiva, Renato Meirelles, a expansão do mercado online já era prevista para antes mesmo da pandemia. Ele avalia, contudo, que esse movimento demoraria mais para acontecer, não fosse o contexto da Covid-19. Por isso, avalia que as circunstâncias atuais acabaram se tornando propulsoras do fortalecimento dos aplicativos.

Consumidores mais cautelosos

É nítido que os brasileiros estão mais conscientes quanto às finanças e priorizando o que é essencial. Além disso, pretendem (55%) comparar mais os preços antes de concretizar a compra.

Diminuir também a quantidade de produtos em relação ao potencial de consumo anterior à pandemia é prioridade para 45% dos entrevistados. Já outros 55% afirmaram que vão comprar normalmente aquilo que já consumiam.

Leia também:

Reserva de emergência: tenha para uma eventual crise
Consumidor DC, eis aqui o seu novo cliente!

Conteúdo Relacionado

Woman using her mobile phone , city skyline night light  backgro
News

WhatsApp: consumidores recorrem ao aplicativo para pesquisar e comprar

05.novembro

Quem diria que um aplicativo de mensagens instantâneas mais do que representaria um meio de socialização virtual. O WhatsApp conta com cerca de 160 milhões de usuários brasileiros e ultrapassou as barreiras do varejo e hoje, inclusive com a sua versão Business, vem se consolidando como uma das principais ferramentas para estreitar a relação entre […]

carrinho de compras em um supermercado
News

Em alta na pandemia: alimentação, higiene, farma e streaming

20.abril

O período de pandemia pelo qual o mundo passa alterou a rotina do comércio e de consumo da população. No Brasil, parte dos estabelecimentos funciona de forma parcial e são priorizados aqueles produtos e serviços tidos como “essenciais” para a sobrevivência humana. Neste novo cenário, algumas categorias vêm se destacando e passaram a ser priorizadas […]

Serviço de entrega
News

Competitividade: esteja pronto após a crise

06.abril

O momento é de cautela, mas também de repensar nos negócios. Ainda que estejamos diante de um futuro incerto por conta da pandemia do novo coronavírus, o varejo brasileiro já pode se preparar para uma mudança de rotinas no setor pós-crise. O que se espera do mercado é que a competitividade vai ser um ponto alto […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *