O que vem aquecendo a economia durante toda a pandemia são as compras online, impulsionadas pelas facilidades oferecidas pelas plataformas virtuais e propostas mercadológicas das redes sociais.

De acordo com dados divulgados pela pesquisa Social Commerce, publicada pela All iN/Social Miner em parceria com a Etus e a Opinion Box, as compras online viraram realidade para 86% dos brasileiros.

Ainda conforme a pesquisa, 37% dos brasileiros buscam lojas virtuais pelo menos uma vez ao mês, enquanto 23% fazem compras online. Para chegar a uma escolha mais assertiva, os consumidores têm recorrido cada vez mais às redes sociais.

Perfis das lojas na web

A publicação também apontou que 76% dos entrevistados buscam os perfis das lojas na web para pesquisar sobre produtos. Além disso, 56% buscam avaliação de compras online anteriores e 54% fazem comparativos de preços.

Entre as ferramentas virtuais de pesquisa de produtos mais usadas estão o Instagram (62%), Facebook e Google Shopping (61%) e o Whatsapp (37%). Contudo, na hora de bater o martelo e fechar a compra, 74% dos entrevistados optam pelos sites e aplicativos, 18% as lojas físicas e 8% pelas redes sociais.

Mas por que buscam nas redes sociais e compram pelo site ou aplicativos? 54% dos entrevistados disseram que por conta do preço e praticidade, além da sensação de segurança para 44% deles. Pontos importantes para que o varejo busque expandir seus negócios para o mundo virtual.

Compras online é realidade

Essa mudança na forma de comprar deve ser encarada como realidade. E sai na frente quem entende a importância de atuar em todos os possíveis canais de atendimento. E isso também passa pelo acompanhamento do que as pessoas dizem sobre você nas redes sociais, um termômetro que deve ser levado muito a sério por qualquer empresário.

A pesquisa Social Commerce mostrou que 75% dos entrevistados avaliam os produtos comprados. Isso é feito através de sites das próprias lojas ou marcas (62%) e nas redes sociais (34%).

Recentemente, o atleta Cristiano Ronaldo tirou duas garrafas de refrigerante de sua frente antes de uma entrevista coletiva após jogo da seleção portuguesa. Essa atitude do jogador levou a uma perda de R$ 4 bilhões em valor de mercado.

Mas o que essa história tem a ver com a outra? Fique atento ao que dizem sobre sua empresa nas redes sociais, sobre seu atendimento, prática de preço e qualidade dos produtos. Ofereça facilidade e praticidade ao invés de desconfiança que pode levar a uma experiência de compras não muito boa.

Gostou desse conteúdo? Se inscreva na nossa newsletter e receba conteúdos como este gratuitamente e em primeira mão!

Leia também:

Tendências de um novo varejo focado na geração Z
Delivery e supermercados despontam na internet durante a pandemia

Conteúdo Relacionado

Woman using her mobile phone , city skyline night light  backgro
News

WhatsApp: consumidores recorrem ao aplicativo para pesquisar e comprar

05.novembro

Quem diria que um aplicativo de mensagens instantâneas mais do que representaria um meio de socialização virtual. O WhatsApp conta com cerca de 160 milhões de usuários brasileiros e ultrapassou as barreiras do varejo e hoje, inclusive com a sua versão Business, vem se consolidando como uma das principais ferramentas para estreitar a relação entre […]

Imagem digital gerada do conceito de compras
News

Transformação digital no varejo, agora vai?

23.abril

O varejo brasileiro se depara com uma situação atípica em razão da pandemia do novo coronavírus. A necessidade do momento é de remodelar o negócio, se adaptar e se reinventar diante das novas oportunidades de mercado. O caminho mais certo, nesse sentido, é sem dúvidas o da transformação digital. Há tempos essa tecla vem sendo […]

whatsapp-nos-negocios
News

Comprar e comunicar, as vantagens do Whatsapp nos negócios

08.julho

Usar o Whatsapp nos negócios está entre as estratégias adotadas por empresas para alcançar um número maior de clientes durante essa pandemia. O aplicativo de mensagens se tornou corriqueiro no dia a dia das pessoas. E passou a ser o aliado do comércio varejista brasileiro, que foi atingido em cheio pelas restrições sanitárias por causa […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *