O varejo a cada dia se digitaliza mais e ganha espaço no e-commerce. Uma pesquisa recente feita pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) comprovou que essa realidade está ainda mais inserida no perfil de consumo brasileiro. De acordo com o estudo “Retratos da Sociedade Brasileira 51 – Perfil do Consumidor: Consumo pela Internet”, quatro em cada dez consumidores fazem compras pela internet.

A estimativa é de aumento de 23%, em 2013, para 42% no ano passado. Esse crescimento é ainda maior (54%) se considerados os apenas aqueles que costumam acessar a internet pelo menos uma vez no mês. Entre os produtos mais citados são eletrônicos, sendo os de maior frequência TVs, celulares e videogames.

A pesquisa também destacou que os consumidores consideram que a principal vantagem de comprar em lojas virtuais é o fato de os produtos serem mais baratos e acessíveis, seguido da praticidade e comodidade. Nas desvantagens são elencadas a dificuldade de trocar ou devolver o produto e a demora na entrega.

Perfil de consumo pela internet

As diferenças mais significativas no perfil dos consumidores conectados são identificadas a partir da análise do recorte de renda familiar. A pesquisa aponta que 74% dos brasileiros com renda familiar superior a cinco salários mínimos já fizeram compras pela internet.

O percentual despenca para 59% entre aqueles com renda familiar entre dois e cinco salários mínimos, para 37% entre os com renda familiar entre um e dois salários mínimos e diminui para 21% entre os brasileiros com renda familiar até um salário mínimo.

Em relação à faixa etária, o estudo mostrou que os mais jovens têm maior predominância nos hábitos de compras pela internet: 54% dos brasileiros com idades entre 16 e 24 anos já fizeram compras pela internet e 56% dos brasileiros entre 25 e 34 anos.

Foi possível identificar que não apenas os brasileiros com maior renda familiar compram mais pela internet, como a frequência de compras é maior entre eles. Considerando apenas os brasileiros que já realizaram compras pela internet pelo menos uma vez na vida, 34% dos que têm renda familiar superior a cinco salários mínimos fazem compras online sempre, percentual que cai com a renda e chega a 9% entre aqueles com renda familiar inferior a um salário mínimo.

Leia também:

Domingos e feriados: por que não abrir a loja?
Atendimento ao cliente e suas tendências no varejo

Conteúdo Relacionado

Marketplace martins capa
News

Marketplace Martins é solução para o varejo nesta crise

27.março

Marketplace, já ouviu falar sobre isso? Calma, antes de entrarmos de fato neste tema, vamos refletir. Quem diria que um dia poderíamos comprar tudo em um único local, sem sair de casa e com poucos cliques? Quem diria que em uma espécie de shopping virtual pudéssemos ter acesso a milhares de marcas do nosso interesse […]

Fundo de telefones móveis
TEI

Smartphones seguem em alta em 2020

18.março

O varejo de smartphones no Brasil tem bastante para comemorar. O setor apresentou alta nas vendas no ano passado e, ao que tudo indica, vai fechar 2020 em crescimento novamente mesmo diante das incertezas da economia. Pelo menos é o que aponta o estudo da IDC Brasil divulgado nesta semana. O levantamento IDC Brazil Mobile […]

Hands holding credit card and using laptop. Online shopping
News

Demanda por crédito fecha 2019 com alta

26.fevereiro

O percentual de consumidores que recorreram ao crédito em 2019 cresceu 4% em relação ao ano anterior, mostrando que a economia brasileira ainda avança a passos lentos. Os dados são da empresa Boa Vista e foram divulgados no último mês durante o levantamento de Demanda por Crédito do Consumidor. Os segmentos que compõem o indicador […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *