Com o cenário de recuperação e reestruturação da economia, as empresas brasileiras já preveem alguns desafios. De acordo com pesquisa da Robert Half, 69% dos executivos ouvidos apontam que 2022 será desafiador para atrair e reter profissionais.

Na avaliação da multinacional de recrutamento, o mercado de trabalho está mais exigente. Por isso, é preciso investir mais para ter uma boa equipe, para conseguir, de fato, atrair e reter profissionais.

As informações constam no Guia Salarial 2022 e têm como referência dois estudos da multinacional. Foram abordadas mais de 900 pessoas entre executivos e profissionais de diversas categorias.

“Esse aquecimento do mercado faz com que as empresas tenham que avaliar suas políticas de atração e retenção de talentos”, afirma o diretor geral para América Latina, Fernando Mantovani.

Turnover e pedidos de demissão em alta

Para 48% dos entrevistados, a taxa de rotatividade de funcionários, o turnover, estará maior que no período anterior à pandemia. Conforme a pesquisa, 49% das empresas acreditam que podem perder os seus melhores talentos.

Entre os motivos apontados para esse risco está a insatisfação com salários, por exemplo. Além disso, a cultura corporativa. Outros fatores são aumento da pressão no trabalho e abordagem da concorrência.

Além disso, 53% das empresas acreditam que os colaboradores estão mais suscetíveis a crises de estresse, ansiedade e burnout. Portanto, a preocupação com a saúde mental dos profissionais deve estar em foco.

Mantovani destaca que transparência e diálogo aberto são essenciais para manter a equipe engajada e motivada. “É hora de olhar para dentro de casa, valorizar os profissionais internos e criar ações de engajamento”, avalia.

Capacitação pode ser aliada do varejo

Entre as ações de estímulo à equipe estão flexibilidade de horário e acesso a benefícios. Também é incentivada a contratação de profissionais para projetos específicos, reduzindo a carga de trabalho sobre o time fixo.

Ouvida pelo Flix Entrevista, a psicóloga e consultora de Recursos Humanos Cleuza Medeiros ressalta a importância da capacitação nesse cenário.

“As equipes estão sendo desafiadas a fazer mais com menos. E a capacitação contribui. Ela evita retrabalho, gera engajamento. Inclusive pesquisas apontam que a capacitação é vista pelos colaboradores como benefício e é um fator de retenção. As pessoas ficam nas organizações que investem na sua capacitação, no seu desenvolvimento. Afinal, conhecimento é aquilo que é nosso”, ressalta.

O Flix Entrevista é um programa do canal da Universidade Martins de Varejo (UMV) no Youtube. Por lá, há conteúdo com orientações e tendências do varejo.

No blog FalaMart também há material exclusivo para aprimoramento da relação das empresas com os colaboradores.

Gostou desse conteúdo? Se inscreva na nossa newsletter e receba conteúdos como este gratuitamente e em primeira mão!

Leia também:

Setor farma: especialistas apontam estratégias para aumentar as vendas do mix verão
Varejo deve adotar estratégias para driblar inadimplência

Conteúdo Relacionado

Recuperação
News

Recuperação pós-crise: conheça os cenários de retomada da econômica

28.julho

Com a realidade de uma eventual cura para a Covid-19 ainda distante, muitas dúvidas aumentam em relação à recuperação econômica mundial. E no Brasil, as expectativas não fogem muito das incertezas, ainda que existam estimações sendo traçadas para a recuperação após a crise ocasionada pela pandemia. A projeção oficial do governo federal é de que […]

Rise in interest rate
News

Selic: como aproveitar a baixa da taxa

14.julho

Com intuito de diminuir os impactos econômicos causados pela pandemia do novo coronavírus, uma das medidas adotadas pelo Banco Central foi a redução em 0,75 p.p na taxa de juros básicos da economia (Selic), chegando a 2,25% ao ano e registrando uma nova mínima histórica. O anúncio foi no dia 17 de junho após aprovação […]

Hands holding credit card and using laptop. Online shopping
News

Demanda por crédito fecha 2019 com alta

26.fevereiro

O percentual de consumidores que recorreram ao crédito em 2019 cresceu 4% em relação ao ano anterior, mostrando que a economia brasileira ainda avança a passos lentos. Os dados são da empresa Boa Vista e foram divulgados no último mês durante o levantamento de Demanda por Crédito do Consumidor. Os segmentos que compõem o indicador […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *