Os prejuízos causados por consumidores estelionatários às micro e pequenas empresas são recorrentes no Brasil. Na lista dos golpes aplicados, os cheques falsos ou roubados estão em destaque, além do uso de cartões de crédito clonados.

Isso é o que revelou um levantamento divulgado no último dia 20 pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e o SPC Brasil.

Segundo o estudo, o recebimento de cheques falsificados ou roubados em 2018 corresponde a 33% das fraudes e as transações feitas com cartões de créditos clonados 25%. No total, 11% das micro e pequenas empresas brasileiras tiveram prejuízos financeiro em virtude dos golpistas.

Golpes podem comprometer a saúde financeira da empresa

Outras práticas estelionatárias que figuram nessa lista são as compras com documentos pessoais em nome de terceiros (10%), uso de documentos falsificados (10%) e compras realizadas com cartão de débito clonado (8%).

Há ainda aqueles golpes de menor potencial e que não configuraram muitas perdas financeiras como boletos falsos para pagamento (37%), links enviados por e-mail para sequestro de dados pessoais por parte de hackers (33%), roubo de informações pessoais ao preencherem cadastros em sites (6%) e invasão do site da empresa (5%).

O superintendente de produtos e operações do SPC Brasil, Nival Martins, comentou que os transtornos ocasionados por estelionatários podem comprometer a saúde financeira das empresas que caem nesses golpes e, por isso, algumas ações podem ser adotadas para minimizar os eventuais golpes.

Alguns cuidados básicos como checar o CPF do consumidor que está buscando crédito na loja é uma delas. “Prestar atenção na consistência das informações fornecidas é fundamental, pois divergências muito grosseiras podem ser sinal de fraudes”, afirma Martins.

Dicas e orientações para não cair em golpes

Como grande parte dos pequenos negócios não conta com muitos recursos e tecnologias disponíveis para detectar potenciais golpes, é natural que muitos lojistas acabem sendo vítimas desses estelionatários. O SPC Brasil traz algumas orientações para que os empresários consigam reduzir os prejuízos. Confira:

– O empresário pode contar com o auxílio de ferramentas existentes no mercado, como a tradicional consulta ao CPF ou CNJP do cliente para averiguar apontamentos de inadimplência ou consultas mais aprofundas para analisar o histórico do documento,.

– Nas compras a prazo sempre solicitar documentos originais do consumidor (RG, CPF ou Carteira Nacional de Habilitação);

– Analisar com atenção as fotos do documento apresentado pelo cliente, principalmente se há diferença entre a data de emissão do documento e a idade do consumidor na foto;

– Verificar se a assinatura da documentação é similar com a assinatura do contrato ou do cheque utilizado como forma de pagamento;

– Sempre pedir endereço e telefone de contato e realizar a checagem na hora, antes de concluir a venda;

– Realizar algum tipo de consulta para verificar se há restrição no CPF ou CNPJ do cliente, o Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) disponibiliza uma série de soluções para confirmar endereço e telefones informados anteriormente pelo cliente.

RESUMO EM TÓPICOS

• Na lista dos golpes aplicados, os cheques falsos ou roubados estão em destaque, além do uso de cartões de crédito clonados;

• Recebimento de cheques falsificados ou roubados em 2018 corresponde a 33% das fraudes.

Conteúdo Relacionado

News

Aplicativo disponibiliza consulta gratuita de CPF com nova versão

10.maio

A atualização do aplicativo “SPC Consumidor” permite que os consumidores façam a consulta gratuita de CPF por meio do smartphone. A nova versão já está disponível desde o último mês para saber se está inscrito na base de inadimplentes do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil).

News

Preparado para as vendas do Dia das Mães?

08.maio

Essa pergunta precisa ser feita com pelo menos 15 dias de antecedência à data. Mas se ainda não pensou nas ações para atrair a clientela, calma que ainda está em tempo. O Dia das Mães é uma das principais datas para o comércio brasileiro e deve ser planejada com sucesso para que os resultados sejam […]

News

Fique ligado: Webinar gratuito sobre Operador de Checkout!

22.abril

O Operador de Checkout desempenha um papel fundamental no varejo por ter uma relação próxima com o consumidor, que relata sua experiência de compra ao passar pelo caixa. Por isso, a escolha certa desse agente resulta em um bom relacionamento com os clientes e, consequentemente, mais vendas para a loja.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *