Preocupado com os impactos sociais e ambientais gerados pelos hábitos de vida, o consumidor brasileiro está cada vez mais interessado em investir em alimentos saudáveis e sustentáveis. É o que mostra a recente pesquisa realizada pelo Instituto Akatu junto à Globe Scan.

Conforme o estudo, em média 6 em cada 10 pessoas estão dispostas a pagar até mais para ter esse tipo de produto. E não basta ser considerado saudável, é preciso se originar de práticas sustentáveis de produção.

Com dados obtidos no segundo semestre de 2022, após ouvir 1 mil pessoas no país, o estudo ainda mostra que 47% dos brasileiros afirmaram terem adquirido algum produto considerado ecologicamente correto. Em 33% dos casos, a decisão de compra pendeu para alimentos frescos.

No relatório, a Akatu/Globe Scan atribue a preferência à disseminação do conceito de “orgânico” no mercado. Afinal é um setor que já conta com selo próprio.

“Além disso, a preocupação com a saúde por parte dos brasileiros, mostrada nos anos anteriores deste estudo, também os leva a cuidar da compra de alimentos”, aponta o estudo.

O que pesa na escolha de marcas

Para mais de 50% dos entrevistados, há tendência maior em se optar por marcas que estimulam a agricultura sustentável ou possuem programas de uso eficiente da água.  Em 54% dos casos, a promoção de reciclagem e apoio humanitário também são fatores de influência no mercado.

Outro dado importante é que 74% dos consumidores têm intenção de adotar um estilo de vida mais saudável. Nesse aspecto, 34% dizem já estarem dentro dessa realidade.

Além disso, mais de 80% dos ouvidos desejam reduzir o impacto pessoal no meio ambiente. Para 72%, a percepção é de que cada um já atua para alcançar esse objetivo.

Tendências para 2023

Os resultados apresentados na pesquisa Akatu/Globe Scan reforçam tendências de consumo em 2023 apresentado por especialistas no setor. Em artigo publicado no portal Mercado e Consumo, a CEO da Gouvêa Foodservice, Cristina Souza, citou que a maior oferta de produtos à base de plantas, sejam eles vegetarianos ou veganos, deve ganhar mais força neste ano.

De acordo com ela, o consumidor brasileiro é flexível ao se alimentar e busca experiências mais saudáveis, podendo manter o consumo de carne, mas aderindo com mais frequência a outros tipos de alimentos.

Gostou do conteúdo? Assine também a nossa newsletter para receber conteúdos como este gratuitamente e em primeira mão!

Leia também:

Mercado de autoatendimento está em ascensão no varejo brasileiro
Programa de Desenvolvimento Rede Smart ganha novo formato

Conteúdo Relacionado

mulher com tablet pc bebendo café
News

Compras por aplicativos também em alta na pandemia

05.maio

O cenário para o comércio varejista e de serviços mudou e recorrer aos canais digitais tem sido a maneira mais prática e eficiente, do momento, para driblar os prejuízos e tentar resgatar as vendas. Uma pesquisa realizada pelo Instituto Locomotiva mostrou exatamente isso e um boom nas vendas online por aplicativos. O estudo foi realizado […]

carrinho de compras em um supermercado
News

Em alta na pandemia: alimentação, higiene, farma e streaming

20.abril

O período de pandemia pelo qual o mundo passa alterou a rotina do comércio e de consumo da população. No Brasil, parte dos estabelecimentos funciona de forma parcial e são priorizados aqueles produtos e serviços tidos como “essenciais” para a sobrevivência humana. Neste novo cenário, algumas categorias vêm se destacando e passaram a ser priorizadas […]

Serviço de entrega
News

Competitividade: esteja pronto após a crise

06.abril

O momento é de cautela, mas também de repensar nos negócios. Ainda que estejamos diante de um futuro incerto por conta da pandemia do novo coronavírus, o varejo brasileiro já pode se preparar para uma mudança de rotinas no setor pós-crise. O que se espera do mercado é que a competitividade vai ser um ponto alto […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *