Toda vez que um colaborador começa a faltar é bom ficar de olho para que o negócio não sofra consequências. Essas ausências, sejam elas justificadas ou não, são caracterizadas como absenteísmo.

Sejam os atrasos rotineiros, os horários de intervalo extensos, as faltas no trabalho avisadas de última hora ou nem avisadas, justificadas ou não, e que não configuram uma emergência, todas configuram como absenteísmo.

Os atrasos ou saídas antecipadas parecem inofensivos. Mas perceba que de 15 em 15 minutos, ao chegar ao final do mês, o saldo negativo dos “faltosos” terá um impacto grande para a operação da loja.

Se alguém falta, sem motivo aparente ou por apresentar um atestado sem necessidade, acaba desencadeando uma série de fatores. Por exemplo: se falta um repositor de determinado setor da loja e não tem ninguém que faça suas atividades, vai acabar a mercadoria nas gôndolas e o consumidor não vai comprar porque não tinha o produto exposto. Sem produto, sem compra, sem lucro.

O mesmo vale para os casos de rotatividade de colaboradores. Cada rescisão contratual é um custo a mais para a empresa e um desgaste maior ainda para a imagem da loja. Por isso que é tão importante se atentar para o índice de absenteísmo, medir para poder acompanhá-lo.

O que fazer para reduzir as ausências

Para a psicóloga e consultora de RH Cleuza Medeiros, o primeiro ponto para reduzir as ausências é procurar identificar o motivo pelo qual o colaborador está faltando ou atrasando com frequência.

Muitas vezes a situação pode ser contornada com uma alteração na escala, se o problema é morar muito longe do trabalho, por exemplo. Ou prestar algum apoio ao problema pessoal e/ou de saúde que o colaborador está passando.

Cleuza destaca ainda que cabe aos gerentes e gestores de Recursos Humanos da loja trabalhar mecanismos e um bom feedback para entender o que está acontecendo.

Além disso, em muitas situações, a pessoa quer forçar uma demissão e por isso começa a faltar demais. Se o problema é com a empresa, o feedback também é importante para buscar melhorias na estrutura e no trabalho em equipe.

Se é com a liderança, é preciso rever a conduta interna porque pode ser que vários outros colaboradores sintam a mesma frustração e insatisfação.

Turnover nem pensar!

A rotatividade de pessoal, também chamada de turnover, é outro problema sério a ser resolvido pela empresa. Você sabia que em média 1/3 dos colaboradores, das empresas de varejo, que são contratados saem da empresa antes dos três meses de experiência?

O impacto disso é muito grande e tem reflexos até na receita da loja. É muito ruim quando o cliente chega e, a cada vez que entra na loja, encontra uma equipe diferente. Por isso, a gestão de RH deve ser muito assertiva no processo seletivo e a empresa deve reavaliar os processos internos e a valorização do colaborador. Tão bom quanto ter um cliente fiel, é fidelizar também os colaboradores.

Quer saber mais sobre absenteísmo e como evitá-lo? A Universidade Martins do Varejo preparou um conteúdo super bacana sobre o tema para ser assistido no quadro Flix Entrevista.

Aproveite e confira ainda o vídeo sobre a importância de capacitar os colaboradores, tema também abordado no Flix Entrevista.

Gostou do que leu? Aproveite para se inscrever na nossa newsletter e receber conteúdos como este gratuitamente e em primeira mão!

Leia também:

Preços disparam e carne vermelha cede espaço para o ovo
Pandemia impulsiona seção de limpeza

Conteúdo Relacionado

loja-fisica-varejo
Varejo Alimentar

Loja física segue na preferência do consumidor

14.janeiro

É visível que o varejo online se despontou durante a pandemia. E conquistou novos públicos que adiavam esse contato direto com a tecnologia e com a modalidade de compra. Acontece que o consumidor não abriu mão da loja física, que continua caindo na preferência de mais da metade dos brasileiros. O levantamento Consumer Insights, feito […]

vendas online
Varejo Alimentar

Vendas online devem crescer o superior a 25% em 2021; oportunidade para o seu negócio

29.dezembro

Se houve um segmento que se beneficiou bastante em tempos críticos foi o varejo online, as vendas online. A pandemia acabou impulsionando hábitos de consumo que já eram uma tendência para o setor. Mas que se consolidou também entre públicos que antes não tinham tanta aptidão para fazer as compras virtualmente. Neste cenário, a expectativa […]

Derivados de plantas
Varejo Alimentar

Derivados de plantas ganham preferência dos consumidores

05.dezembro

Os alimentos derivados de plantas e vegetais podem ser incremento interessante para destacar nas gôndolas da loja. Isso mesmo! Essas categorias têm ganhado a preferência dos consumidores brasileiros. É o que mostrou um estudo da Consultoria Opinaia em parceria com a líder mundial no mercado de soluções em ingrediente, Ingredion. De acordo com a pesquisa, […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *