O orçamento enxuto é o principal motivo que leva grande parcela da população brasileira a não se aposentar. A pesquisa da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e do SPC Brasil, em parceria com o Banco Central, mostra que cerca de 60% dos consumidores não estão preparados para a aposentadoria.

O levantamento tem como objetivo entender o perfil do consumidor sob esse ponto de vista e aponta que apenas 41% têm se preocupado com o futuro financeiro com a chegada da aposentadoria. Esse percentual é um pouco maior (55%) entre os contribuintes das classes A e B.

36% daqueles que não contam com nenhum plano financeiro informaram que o problema é que não sobra dinheiro no orçamento. Já 18% informam que não tem condições de se precaver para garantir a segurança financeira no futuro porque estão desempregados.

Enquanto isso, 17% afirmaram na pesquisa que não vale a pena guardar o pouco dinheiro que sobra ao final de cada mês. Há ainda uma parcela de consumidores entrevistados (5%) que disse preferir viver e aproveitar o agora comprando coisas do que poupar o dinheiro.

Renda a longo prazo

A economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti, destacou a importância de se começar a pensar na renda a longo prazo. “Estima-se que a participação da população acima de 65 anos na sociedade brasileira passe dos atuais 9% para 25% em 2060, segundo projeções do IBGE. Será cada vez mais importante começar a pensar em uma complementação ainda jovem e não apenas quando se aproxima do momento de parar de trabalhar”, destacou.

Entre os meios mais comuns de poupar para a aposentadoria estão as aplicações financeiras (42%) como a previdência privada (20%) e outros ativos financeiros como ações, títulos ou fundos (20%). Para 35%, os recursos do INSS servirão de renda e 16% dizem que dependerão de terceiros. Já 37% dos pesquisados disseram que, ao se aposentar, pretendem continuar ativos no mercado de trabalho.

Em caso de dificuldades financeiras repentinas, 39% não conseguiriam arcar com imprevistos sem recorrer à ajuda de terceiros ou até mesmo a empréstimos junto a instituições financeiras. Em contrapartida, quatro em cada dez brasileiros teriam condições de cobrir despesas extras desse tamanho.

Idosos também estão de olho no varejo online

Velocidade e conveniência estão entre as prioridades para o consumidor, sua loja está pronta?

RESUMO EM TÓPICOS

• Cerca de 60% dos consumidores não estão preparados para a aposentadoria;

• Brasileiros alegam que não sobra dinheiro no orçamento para fazer algum plano financeiro.

Conteúdo Relacionado

News

Como alavancar o consumo de produtos de giro rápido em sua loja?

09.abril

Ainda que o cenário não tenha sido dos mais favoráveis em 2018, os setores supermercadista, farma e atacarejo se destacaram no período.

News

Você conhece seu público? 96% dos responsáveis pelas compras são mulheres

03.abril

No mês dedicado à mulher, a Nielsen divulgou informações sobre o panorama da mulher brasileira no mercado varejista e comprovou que elas são maioria nas lojas. Com base na pesquisa “Estilos de Vida 2018”, 96% dos responsáveis pelas compras são mulheres.

News

Varejo online brasileiro registra alta de 12% em 2018

02.abril

Há alguns anos, o e-commerce vem se consolidando como uma grande potência à economia brasileira e ao setor varejista. O resultado é ainda mais concreto ao se mensurar os dados compilados de 2018, pela Ebit|Nielsen, quando o varejo online faturou mais de R$ 53,2 bilhões e registrou crescimento de 12% nas vendas em relação ao […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *