Nem sempre a decoração ou um planejamento mais assertivo da vitrine é prioridade para os lojistas.  Acontece que esse pensamento precisa ser mudado já que a vitrine é o cartão de visitas da loja e, em muitas situações, pode ser sinônimo de atração de novos clientes e aumento no faturamento.

Mas para chamar a atenção dos consumidores, é preciso elaborá-la de forma que não seja muito exagerada e explorá-la sempre com aqueles itens que fisgam a atenção do público-alvo do segmento do varejo que se trabalha.

De acordo com o Sebrae, a vitrine deve ser considerada um dos principais espaços na loja por ser responsável por mais de 80% das vendas por impacto visual. Ela se trata de um ambiente usado para promover as vendas de impacto relacionados à imagem do varejo e pode estar não apenas na fachada, ainda que seja mais comum, mas também em pontos estratégicos no interior do estabelecimento.

O que fazer para planejar a vitrine?

O Portal Vitrine do Varejo compilou algumas dicas do Sebrae e demais especialistas para orientar os lojistas a montar a vitrine ideal para o negócio. Confira abaixo.

1 – Sazonalidade: aproveitar as datas comemorativas para montar vitrines temáticas.

O ideal é que o lojista organize um calendário de datas comemorativas mais importantes do seu próprio segmento e com foco no varejo para antecipar as ações e planejar a vitrine. Os cenários temáticos geram muito impacto positivo nos consumidores.

Dá para inovar bastante na decoração sem perder a identidade da marca. Se possível, tentar trabalhar a vitrine com as paletas de cores da marca a loja. Na organização “produtos + decoração” é importante para que tudo tenha sintonia dentro da vitrine e não gere um impacto visual poluído aos olhos do cliente.

2 – Uma iluminação mais forte destaca os produtos para o cliente e aumenta a % de compra por impulso.

A luz também pode ser pensada para dar destaque àqueles itens que o lojista pretende dar mais ênfase nas vendas. Outra dica é usar lâmpadas que piscam ou se movem. Esse tipo de iluminação atrai bastante os olhos e pode ser utilizada em decorações animadas e motorizadas.

3 – É essencial manter as vitrines sempre organizadas e limpas.

Não deixe que os itens acumulem poeira ou que insetos, atraídos pela iluminação, atrapalhem o objetivo de atrair o olhar dos clientes que deve estar sempre focado nos produtos.

4 – Escolher os produtos ideais.

As liquidações e ações promocionais cabem em todo e qualquer momento. No vitrinismo elas são uma boa maneira de despertar a atenção da clientela por meio do uso de adesivos ou banners que descriminem as ofertas. Com a sinalização apropriada é possível dar o devido destaque ao mix da vitrine e fazer com que o consumidor entre na loja. Expor as mercadorias em oferta é muito importante para estimular o cliente a comprar.

Além disso, lançamentos e novidades cumprem bem a função de despertar a atenção e forçar o cliente a entrar na loja para olhar preços e até acabar se interessando por outros artigos também.

Baixe o calendário promocional com as datas sazonais do Varejo Alimentar pelo Flix do Varejo Freemium!

 

RESUMO EM TÓPICOS

• A vitrine deve ser considerada um dos principais espaços na loja por ser responsável por mais de 80% das vendas por impacto visual;

• O Portal Vitrine do Varejo compilou 4 dicas do Sebrae e demais especialistas para orientar os lojistas a montar a vitrine ideal para o negócio.

Conteúdo Relacionado

News

5 Dicas para melhorar a gestão de categoria da sua loja

05.março

Fidelize clientes e reduza custos de operação. O gerenciamento de categorias deve constar entre as prioridades da loja para facilitar o processo de compra do cliente e impulsionar os lucros, transmitindo a mensagem de organização.

News

Consumidor não se importa de ter padrão de compras monitorado pelo varejo

27.fevereiro

A pesquisa anual Global Consumer Insights, realizada pela PwC no ano passado, trouxe os novos comportamentos do consumidor diante ao cenário de um varejo cada vez mais digitalizado.

News

Atenção! Cheques falsos e cartões clonados lideram golpes aplicados em pequenas empresas

22.fevereiro

Os prejuízos causados por consumidores estelionatários às micro e pequenas empresas são recorrentes no Brasil. Na lista dos golpes aplicados, os cheques falsos ou roubados estão em destaque, além do uso de cartões de crédito clonados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *